Últimos assuntos
» [FP]-Luna Cristynie
por bianca.mgianetti Qui Set 18, 2014 10:29 pm

» [FP] Elizabeth Miller
por Thor Dom Jul 13, 2014 2:25 am

» [FP] Derick Morris
por Afrodite Sab Jul 12, 2014 4:55 am

» Avatares Masculinos
por Afrodite Sex Jul 11, 2014 7:16 pm

» Avatares Femininos
por Afrodite Sex Jul 11, 2014 6:46 pm

» Oásis - Deserto
por Ares Qui Jun 26, 2014 12:23 am

» Fórum Renovado.
por Afrodite Qua Jun 25, 2014 2:40 am

» Deserto e Dunas
por Ares Seg Jun 23, 2014 7:23 pm

» Modelo de Ficha
por Afrodite Seg Jun 23, 2014 7:23 pm

» Deserto do Saara
por Ares Seg Jun 23, 2014 7:18 pm

Parceiros

Andrew Valerious

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Andrew Valerious

Mensagem por Andrew Valerious em Sab Mar 02, 2013 12:50 pm

Nome: Andrew Valerious.
Sexo:Masculino.
Orientação Sexual: Heterossexual.
Idade: 19 anos.
Profissão:Soldado.
Panteão:Grego.
Progenitor: Zeus. (Jupiter)
Características Físicas: Tem os cabelos negros que fazem contraste com sua pele branca, seus olhos são claros que demonstram certa simpatia, ele tem a estatura mediana e o corpo magro claramente definido.
Características Psicológicas: É um garoto um tanto frio com aqueles que não conhece, mas tem um sorriso fácil e o humor estável, ele é pouco sociável, mantém como uma das principais características a liderança que está presente tanto no seu jeito de agir quanto de falar.
Característica do Progenitor: Bom coração e liderança.
História:
Andrew viveu com sua mãe, uma mulher doente e que lutava para sustenta-lo, ela era boa mas quando o garoto tinha cerca de 15 anos começou a se viciar em algumas drogas, foi uma luta constante para salva-la daquilo, sempre que delirava ele ouvia a mulher chamar pelo pai de Andrew, ela não dizia nada apenas que voltasse e ele nunca entendeu, mas ignorava... Nunca falavam nele, era a principal regra e Andrew aprenderá a viver
com aquilo sem questionamentos, quando tinha cerca de 17 anos viu sua mãe falecer e isso o entristesseu, ele sentiu que perdeu a luta e ficou desolado por algum tempo, por fim acabou largando a escola e logo que completou 18 se alistou no exército
foi uma mudança drástica a partir dali, ele passou a treinar duro e participar de pequenos combates, quando completou mais ou menos 19 anos ele foi para a primeira batalha de verdade. Alguns especialistas, ou treinados para isso foram chamados para uma simulação de guerra e Andrew foi um dos convocados.
eles se apresentaram na base militar e foram levados, todos estavam receiosos, poucos ali tinham alguma ideia do que iria acontecer, ao longo do percurso eles não trocaram uma palavra, é isso que se aprende no exército, um precisa do outro, mas ninguém cria laço emocional, por isso... Não conversam ou fazem amizades. Por fim uma ordem alta foi ouvida e Andrew ainda não lidava bem com isso, de receber ordens de um superior mas tinha de engolir sua frustração
eles foram postos em fila única, chovia muito e podia se ouvir os estrondos de trovoes se misturarem aos murmúrios de preces cada um tendo de arrumar as pressas um paraquedas, não foram dadas grandes instruções mas já estavam acostumados, Andrew estava achando tudo aquilo burrice, saltar de para quedas em meio a tempestade, mas não iria questionar, assim que chegou sua vez ele exitou por um breve momento e uma mão pesada o empurrou, não teve tempo para se virar e ver quem fora, até porque seria inútil, seu corpo caia em queda livre e ele podia sentir seus órgãos se contraírem com aquilo, teve de pensar rápido, virou seu corpo e abriu os braços e as pernas, tornando a queda mais estável, por um breve momento fechou os olhos sentia-se livre, a chuva que caia molhava seu corpo mas o garoto estava de capacete e por uma fração de segundos o tirou, foi algo impulsivo mas não se importou ele olhou para o chão e para o lado e viu para quedas abertos fez o mesmo, logo pousando no chão com um baque surdo um pouco a frente de onde deveria estar, ele desprendeu o para quedas rapidamente o deixando cair no chão pegando sua k-47 presa nas costas, olhou para seus companheiros assentindo para ver se todos estavam bem, a chuva era intensa e o barulho que vinha dos céus aumentava, aquilo não incomodava o garoto, mas era um tanto atordoante e deixava os outros um pouco perdidos, ele seguiu em sua posição designada, por fim todos pararam olhando uns para os outros.Estavam perdidos.

'-Não temos como continuar, não temos ordem para nada, que merda de simulação é esta?

As palavras sairam de um dos recrutas, era um cara alto e louro, realmente não havia sinal de nada, até agora, Andrew estava um pouco afastado deles e olhava para o chão, se agachou e tirou um pouco da lama, foi quando viu uma imensa pata marcar o chão com perfeição o garoto olhou para a frente e apontou a arma, recuando alguns passos, disse de forma firme e urgente.

'-Ninguém se move!

De súbito todos pararam antes que algo atordoante acontecesse, um grito foi ouvido e todos se viraram naquela direção mas tudo que viram foi uma arma caida no chão, onde a pouco tempo estava um soldado, ninguém se aproximou.

'-Juntem-se no centro.

Falou mais uma vez o garoto de forma autoritária, não tinha patente para quilo mas ninguém tinha outra opção, por fim fizeram um circulo cada um mirando para um lado, eles tinham a respiração pesada e dificultada pela chuva, um estava assustado demais para ter reações e Andrew acreditava que sequer respirava, depois de algum tempo se endireitaram acreditando que havia passado, nada aconteceu, se separaram novamente vasculhando aquela pequena área, Andrew adentrou um pouco a mata na direção da mata, não teve tempo para ter qualquer reação, sentiu um impacto forte contra seu corpo e este foi lançado contra o chão, ele balançou a cabeça atordoada e rapidamente olhou para o lado em busca de sua arma, se esticou para tentar alcança-la mas uma criatura que não era nada parecida com tudo que ele tinha visto o impediu, ela tinha asas e era parte mulher, estava com as garras presas no corpo do rapaz, ele tentou afasta-la mas foi inútil, ela levantou a garrafa para desferir um golpe e Andrew enfurecido segurou as asas da criatura com força, foi ai que voz estrondosa que parecia se misturar com os trovoes do céu ecoou em sua cabeça.

'-Não tema meu filho, eu irei salva-lo.


Ele ficou um pouco confuso mas algo aconteceu, em questão de segundos sentiu um raio descer sobre si, mas não machucou, ele viu suas mãos conduzirem toda aquela eletricidade para a criatura que foi atirada longe, deitou a cabeça no chão, arfante, havia servido para conduzir aquele raio olhava o céu e os pingos cairem sobre si, mas foi até que seus olhos se fechassem, e ele ficasse inconsciente.

'-Me ouça com atenção garoto, eu estive cuidando de você por todo este tempo, sou teu pai, Jupiter conhecido por uns e Zeus por outros...

Ele lembra-se de ter ouvido outras coisas sobre sua vida e missões, sobre seu passado mas não conseguia se lembrar, após o acontecido saiu do exército, ninguém sabe o que realmente aconteceu lá, e permaneceria assim agora estava em sua velha casa. Assim que havia voltado para casa ele passou horas na frente do espelho, observava o próprio reflexo tentando entender uma mudança em seu corpo, via seus músculos serem contornados por uma estranha tatuagem que os marcava, ele passou os dedos tocando-a sutilmente parecia uma cicatriz, tinha o formato de uma bela águia, envolta por raios, ela se estendia por por todo lado direito de seu tronco até parte de seu braço, ele tentava se lembrar quando ganhará aquilo mas foi inútil, ele passou a pesquisar constantemente sobre o que aquilo poderia representar e percebeu que eram simbologias que representavam Zeus.

Como se não bastasse as coisas que o atordoavam ultimamente, ele andará recebendo uma visita, uma enorme águia pousará na janela de sua casa, ele não sabia ao certo o que fazer com ela já que o animal parecia segui-lo constantemente, de inicio o rapaz se recusou e até chamou alguns homens para expulsa-la de lá, mas no fim aceitou a companhia do animal, a qual deu o nome de seu progenitor, Zeus. Ele lembra-se de ter ouvido outras coisas sobre sua vida e missões, sobre seu passado mas não conseguia se lembrar, após o acontecido saiu do exército, ninguém sabe o que realmente aconteceu lá, e permaneceria assim agora estava em sua velha casa, passava os dias procurando por pistas de tudo aquilo, mas estava claramente confuso, passava meses fora de casa a procura de outros garotos como ele.

Perícias: [Clique aqui para saber mais]

▬Furtividade.
▬Mira.

Ofícios: [Clique aqui para saber mais]

▬Guerrilheiro.

EDC: Espadachim.

Arma:
Armadura:

Atributos: [15 pontos para distribuir.]

Ataque:6
Defesa:5
Magia:2
Agilidade:2
Resistência:4
Sabedoria:2

Poder Divino:
Seu corpo absorve energia transformando em uma imensa descarga elétrica, que pode ser conduzida para uma direção.

Animal de Estimação: Uma águia.

Objeto Sagrado:
Uma tatuagem que cobre parte do braço direito, peito e costelas do lado direito do corpo com representações de uma águia envolta com raios.

Habilidades Épicas:
Força Épica, Manipulação Épica.
Magias Secundárias:
Condução : Conduz a eletricidade sem poder cria-la, apenas usar seu corpo como condutor.
Aumento efetivo: Ele amplia a eletricidade conduzida pelo corpo, não muito.
avatar
Andrew Valerious
Grego
Grego

Mensagens : 4
Data de inscrição : 02/03/2013

Ficha do Herói
Vida:
100/100  (100/100)
Energia:
100/100  (100/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Andrew Valerious

Mensagem por Anúbis em Sab Mar 02, 2013 2:32 pm

Ficha Aceita, espere por alguma narração começar, ou faça um treino em grupo ou solo

Tenha um Bom Jogo
avatar
Anúbis

Mensagens : 25
Data de inscrição : 05/02/2013

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum